Conheça as habilidades dos melhores profissionais do mercado

mulher trabalhando

Para conhecer mais que apenas as habilidades técnicas dos entrevistados, recrutadores aplicam entrevistas por competências.

Muitos candidatos vão para as entrevistas de emprego preparados apenas para responder sobre suas experiências profissionais e falar sobre sua trajetória de conquistas dentro de outras organizações. Porém, acabam se deparando com perguntas muito mais profundas, que exigem mais detalhes do comportamento que costumam ter no trabalho.

Essas são as chamadas entrevistas por competências, onde os recrutadores tentam minimizar os riscos de contratações estritamente por habilidades técnicas. O foco apenas na questão técnica pode ocasionar problemas internos relacionados a atitudes do colaborador ou mau relacionamento do mesmo.

Além das entrevistas por competência, duas práticas que já têm se tornado comum são a checagem das referências e a utilização de ferramentas psicométricas. Mesmo que cada vaga tenha uma especificidade, alguns pontos devem sempre ser checados.

No artigo a seguir iremos apresentar com mais detalhes as habilidades profissionais mais valorizadas no mercado atualmente. Vamos saber quais são elas? 

Conheça os 6 pontos de expertise do bom profissional

Vivemos um momento singular no mercado, grande parte dos gestores reconhece que o capital humano é um dos mais relevantes para o sucesso empresarial. Em um contexto em que a tecnologia está mais democrática, é fundamental pautar as ações corporativas em diferenciais humanos. 

Dessa forma, mais do que ter profissionais com excelentes habilidades técnicas é determinante contar com colaboradores com horizontes mais amplos. Nesse sentido, as habilidades pessoais não estão mais descoladas das habilidades técnicas. Mas, quais são as habilidades reconhecidas pelo mercado como sendo as dos melhores profissionais?

A seguir iremos apresentar as habilidades que estão sendo mais buscadas pelos recrutadores, ou seja, as qualidades que os melhores profissionais possuem. É importante citar que se você não tem uma ou mais dessas habilidades sempre pode buscar desenvolvê-las. 

1. Flexibilidade

Perfis profissionais que não sejam resistentes a mudanças ganham destaque nos tempos de crise, onde as estruturas organizacionais precisam ser cada vez menores. Os profissionais que mais se destacam são aqueles que estão prontos para assumir funções não previstas no momento do recrutamento.

Essa flexibilidade do profissional ganha força pela quantidade de assuntos que este deve saber e o jogo de cintura que ele deve exercer para lidar com as adversidades do dia a dia no mundo corporativo. A internet é uma grande aliada de quem sabe como utilizá-la da melhor forma. O ideal é aproveitar a conexão para informar-se sobre outros temas ampliando os seus horizontes. 

2. Envolvimento e comprometimento

Essas duas características são observadas pelos especialistas de recursos humanos, já que são elas que demonstram atitudes de donos de negócios, ou seja, pessoas com visão empreendedora. Esses são atributos muito valorizados e o envolvimento é medido em entrevistas por competências, checagem de referências, etc.

Um profissional que possui envolvimento e comprometimento com as suas atividades apresenta uma postura proativa. Estar pronto para dar um passo adiante, mesmo antes que isso lhe seja pedido, é uma forma de se tornar mais valorizado pelo mercado. Mais uma vez, ressaltamos a importância de buscar o conhecimento como uma ferramenta para se tornar alguém mais relevante no contexto profissional. 

3. Visão estratégica

Para posições de gestão, é de extrema importância voltar o pensamento para a projeção de resultados concisos em longo prazo. Essa habilidade pode ser facilmente detectada ao longo de uma entrevista, pois geralmente quem a possui aplica à sua própria carreira. Um indivíduo com boa visão estratégica sabe onde está neste momento, aonde quer chegar e como irá fazer isso.

Para melhorar sua visão estratégica, é fundamental manter-se informado sobre o que acontece perto e longe de você. Conhecer o mercado em que a companhia em questão está inserida é determinante para construir uma visão mais ampla de como pode contribuir para o seu sucesso. 

4. Comunicação Interpessoal

Recrutadores em entrevistas por competência estão de olho em profissionais que tenham habilidade de se comunicar. No geral, segundo especialistas, os brasileiros não possuem grandes dificuldades para se relacionar com a equipe de trabalho. Porém, é preciso sempre desenvolver essa questão, já que esta habilidade está diretamente ligada à capacidade da construção de grandes alianças no ambiente corporativo. 

Também é essencial que o profissional foque em usar a sua capacidade comunicativa para unir esforços com a equipe. Deve-se evitar a confusão que pode ser feita entre ser demasiadamente extrovertido e ter boa comunicação. No primeiro caso, pode acontecer de passar dos limites, chegando a resultados indesejados. Já no segundo, são estabelecidas relações profissionais produtivas e positivas. 

5. Gestão 360º

A Gestão 360º é uma ferramenta que permite desenvolver uma visão profunda a respeito do desempenho dos setores de uma companhia. Torna-se possível detectar como os resultados individuais podem ser somados para chegar a resultados coletivos mais poderosos. 

A comunicação, a partir da Gestão 360º, torna-se parte eficaz dentro do ambiente profissional estimulando a todos. É importante não só influenciar a seus liderados, como também a seus chefes e gestores. Os profissionais que agem dessa forma têm muito mais possibilidades de alavancar suas respectivas carreiras.

6. Foco nos resultados

Poder entregar além do que a corporação espera e sempre bater suas metas é um dos pontos chave de quem se destaca em sua carreira. Uma das características bem quistas pelos recrutadores e principalmente donos de empresas é o hands on, que significa “pôr a mão na massa”. Essa expressão é típica dos colaboradores que não se importam com o cargo, apenas com a entrega dos resultados esperados.

Em outras palavras, esse colaborador não irá se importar de realizar uma atividade que está fora do seu escopo de atividades. Independentemente do fato de a atividade em questão ser considerada “menor” em relação ao seu status. Para quem está focado nos resultados, o que realmente importa é concretizar o projeto. 

7. Autoconhecimento

O autoconhecimento está sendo cada vez mais valorizado no mercado de trabalho porque é a base da estabilidade. Um profissional que conhece a si mesmo, nas esferas pessoal e profissional, tende a ter um direcionamento mais claro da carreira. É mais difícil que esse indivíduo sinta-se descontente com seu trabalho, uma vez que essa foi uma escolha consciente a partir de suas preferências.

Uma pessoa que conhece plenamente a si mesma também tende a ter inteligência emocional mais bem desenvolvida. A inteligência emocional consiste na habilidade de compreender e gerenciar as próprias emoções e as emoções daqueles que o cercam. Trata-se de uma pessoa com mais estabilidade. 

Uma forma de ampliar seu autoconhecimento e melhorar sua inteligência emocional é passar pelo processo de Coaching. A metodologia Coaching é um processo focado no desenvolvimento humano que pode ajudá-lo a eliminar diversas crenças limitantes. Inclusive, está cada vez mais agregado ao universo corporativo devido aos excelentes resultados que proporciona. 

Gostou deste artigo? Conhece outra habilidade importante na hora da contratação? Comente e compartilhe com seus amigos nas suas redes!

José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC – Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.

*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.



LINK DA FONTE

Rolar para cima