Sono pode ser tão importante para o coração quanto dieta e atividade física, diz estudo :: CNN

Se você deseja manter seu coração saudável, adicione uma boa noite de descanso à sua lista de tarefas, sugere um novo estudo.

As doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no mundo, levando cerca de 18 milhões de vidas a cada ano, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Nos Estados Unidos, o cenário não é diferente de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC). Uma pessoa morre de doença cardiovascular a cada 34 segundos nos EUA.

Em junho, a American Heart Association adicionou a duração do sono à sua lista de verificação de saúde cardiovascular, agora chamada de “Life’s Essential 8”. Essas diretrizes baseadas na ciência foram criadas para ajudar todos os norte-americanos a melhorar sua saúde cardíaca. As orientações também podem ajudar pessoas no Brasil, que registra cerca de 400 mil mortes por ano pelas doenças cardíacas.

Os oito itens são:

  • parar de fumar
  • comer melhor
  • permanecer ativo
  • controlar o peso
  • controlar a pressão arterial
  • controlar o colesterol
  • reduzir o açúcar no sangue
  • ter um sono saudável

Algumas das pesquisas por trás da mudança foram publicadas nesta quarta-feira (19) no jornal científico da American Heart Association.

A pesquisa, de cientistas da Escola de Saúde Pública Mailman da Universidade de Columbia, mostra que as diretrizes de saúde cardiovascular são mais eficazes para prever o risco de doença cardíaca de uma pessoa se incluírem o sono.

Os pesquisadores analisaram os registros de sono de 2.000 adultos de meia-idade ou mais velhos em um estudo em andamento nos EUA sobre doenças cardiovasculares e fatores de risco chamado Estudo Multiétnico de Aterosclerose, ou MESA em inglês.

Os participantes participaram de uma pesquisa detalhada do sono. Eles preencheram questionários de sono, usaram um dispositivo que avaliou o sono por sete dias e fizeram um estudo noturno no qual os cientistas puderam observar a maneira como dormiam.

Maus hábitos de sono “são onipresentes” entre os norte-americanos, diz o estudo, inclusive entre os participantes. Cerca de 63% dos voluntários dormiam menos de sete horas por noite e 30% dormiam menos de seis horas. A duração ideal do sono para um adulto é entre sete e nove horas por noite, de acordo com o CDC.

Pessoas que dormiam menos de sete horas por noite tinham uma chance maior de “baixa eficiência do sono”, padrões irregulares de sono, sonolência diurna excessiva e apneia do sono. Especificamente, quase metade das pessoas no estudo tinha apnéia do sono moderada a grave. Mais de um terço relatou sintomas de insônia e 14% relataram sonolência diurna excessiva.

Aqueles que dormiram menos de sete horas tiveram maior prevalência de fatores de risco para doenças cardíacas, como obesidade, diabetes tipo 2 e pressão alta. Outra pesquisa também mostrou conexões entre sono curto e doenças crônicas que também podem prejudicar a saúde do coração.

“O sono ruim também está ligado a outros comportamentos de saúde ruins”, disse a autora do estudo Nour Makarem, professora assistente de epidemiologia da Escola de Saúde Pública Mailman. Esses maus comportamentos de saúde também contribuem para a má saúde do coração.

Há evidências crescentes de que as pessoas que não dormem o suficiente geralmente têm uma dieta pobre, disse Nour. Isso pode ser em parte porque o sono é um processo restaurador que, entre outras coisas, produz e regula hormônios que podem fazer você se sentir saciado ou com fome. Quando esses hormônios saem do controle, você pode acabar comendo mais e procurando alimentos ricos em calorias que lhe dão energia rápida.

O sono ruim também está ligado a um menor envolvimento na atividade física, disse Nour.

“Tanto uma dieta pobre quanto a falta de exercícios, é claro, também são um importante fator de risco para doenças cardíacas”, disse ela. “Então, o sono está relacionado a muitos fatores de risco de doenças cardiovasculares, incluindo até mesmo fatores de risco psicológicos”.

Dormir mal pode aumentar os níveis de estresse e os riscos de depressão, os quais também afetam a saúde do coração.

“Em poucas palavras, o sono está relacionado a fatores de risco clínicos ou psicológicos e relacionados ao estilo de vida para doenças cardíacas. Portanto, não é uma surpresa que o sono ruim aumente o risco futuro de doenças cardíacas”, acrescentou Nour.

Sharon Cobb, diretora de programas de enfermagem de pré-licenciamento e professora associada da Escola de Enfermagem Mervyn M. Dymally da Universidade de Medicina e Ciência Charles R. Drew, em Los Angeles, disse que é importante que os profissionais de saúde levem em consideração o sono ao avaliar a saúde geral de alguém.

Ela espera que estudos futuros forneçam evidências adicionais de uma conexão entre boa saúde e bom sono e levem mais profissionais a fazer perguntas.

“Eles medem sua pressão arterial, perguntam como você come e se exercita, mas não perguntam muito ‘como você está dormindo à noite?””, disse Cobb, que não esteve envolvida na nova pesquisa. “Dormir bem é essencial para promover uma boa saúde”.

Cinco dicas para evitar o colesterol alto

LINK DA FONTE

Rolar para cima