Primeira injeção contra obesidade é aprovada pela Anvisa

Na última segunda-feira (2), foi publicada a aprovação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) da primeira injeção semanal para tratamento contra a obesidade.

O medicamento Wegovy poderá ser comercializado sob prescrição médica e o seu registro foi publicado no Diário Oficial da União, em resolução assinada pelo gerente-geral de Produtos Biológicos, Radiofármacos, Sangue, Tecidos, Células, Órgãos e Produtos de Terapias Avançadas.

Conforme descrito pela Anvisa, o princípio ativo do medicamento é a semaglutida, e ele é uma solução injetável, que deve ser administrada uma vez por semana. A indicação é que o uso do Wegovy ocorra junto a uma dieta de baixas calorias e com a prática de exercícios físicos.

A medicação pode ser adquirida para controle de peso, incluindo perda e manutenção em caso de pessoas adultas obesas ou com sobrepeso, desde que com pelo menos uma comorbidade relacionada à massa corporal, como disglicemia, hipertensão ou doença cardiovascular.

A redução do peso deve ocorrer através do efeito do medicamento que deve diminuir a ingestão de energia pelo aumento da saciedade e redução da sensação de fome. A aplicação semanal se dá pelo desenvolvimento da injeção com uma baixa taxa de eliminação.

O presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), Paulo Miranda, ressalta que a terapia farmacológica deve ter como base mudanças de hábito de vida e acompanhamento médico endocrinológico e de equipe multidisciplinar.

“O objetivo é que todo o processo de tratamento e controle das comorbidades dos pacientes seja atendida, gerando ganhos de saúde e preservação, com melhoria global do estado geral do paciente e não apenas como a visão numérica de perda de peso ou mesmo estética”, alerta.

Atualmente, estima-se que aproximadamente 100 milhões de pessoas tenham sobrepeso e 41 milhões convivam com a obesidade no país.

Ainda de acordo com a Anvisa, a semaglutida já foi aprovada para comercialização nos Estados Unidos, União Europeia, Japão, Canadá, Brasil e em outros países sob os nomes comerciais Ozempic (via subcutânea) e Rybelsus (via oral). A primeira aprovação foi para o Ozempic, que é indicado para melhorar o controle glicêmico em adultos com diabetes mellitus tipo 2.

O preço da injeção ainda será definido pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED).

Ela é produzida pela farmacêutica Novo Nordisk e, segundo a Anvisa, fatores como logística de distribuição do fabricante e dos revendedores devem influenciar no prazo para que ele seja disponibilizado para os consumidores.

(Com informações de Lucas Rocha, da CNN)

LINK DA FONTE

Rolar para cima