Quando procurar a terapia? :: PSICÓLOGO E TERAPIA

Thaiana Brotto

Espero que você goste desse artigo Conheça as psicólogas que atendem em São Paulo presencialmente e também online por vídeochamada.

Quando procurar a terapia?

Quando procurar a terapia?

Procurar terapia costumava ser visto como maus olhos no passado. Por conta da desinformação acerca desse processo e da estigmatização de condições de saúde mental, porém muitas pessoas interessadas na terapia não procuravam um psicólogo para, fazer uma avaliação. Felizmente, hoje, a situação é diferente.

Passou-se a compreender a importância de cuidar da saúde mental para viver uma vida de qualidade. Isto é, aproveitar ao máximo as particularidades da vida profissional, vida social, vida afetiva, vida pessoal e as demais esferas da vida de um indivíduo.

Com isso, mais pessoas passaram a demonstrar interesse pela terapia. Mas, em que momento exatamente se pode procurar o atendimento psicoterapêutico? Existem regras? Qual é a abrangência da psicoterapia? Neste post, responderemos essas perguntas.

O que é terapia?

A psicoterapia é uma forma de tratamento psicológico cujo objetivo principal é tratar e curar condições de saúde mental, como depressão, ansiedade e transtorno do pânico. Entretanto, você pode procurar a terapia para aliviar uma série de problemas emocionais que não possuem ligação com distúrbios psíquicos.

Durante as consultas, os pacientes compartilham as suas queixas e expectativas de melhora, as quais são utilizadas pelo psicólogo para traçar um caminho para o atendimento psicoterapêutico.

A intenção não é exatamente fornecer conselhos e dizer ao paciente o que ele precisa fazer, mas, sim, incentivar reflexões acerca da sua vida, da sua personalidade, dos seus sonhos e dos seus problemas.

Com isso, o paciente consegue chegar a conclusões do que é bom para a sua vida por conta própria e escolher fazer movimentos de mudança para alcançar os seus objetivos. Essa internalização do que é certo para ele é mais poderosa do que a imposição feita por outra pessoa, dado que o paciente compreende os porquês da necessidade de mudança sozinho.

Quando devo procurar a terapia?

Hoje, muitas pessoas buscam a terapia para obter autoconhecimento ou tratar problemas pontuais, além de condições de saúde mental. Mas quais exatamente são esses “problemas”? Se você nunca fez terapia ou sabe pouco sobre esse tipo de tratamento, pode ter dificuldade para entender quais assuntos podem ser discutidos com o psicólogo.

Desde problemas sérios até impasses corriqueiros podem ser levados ao consultório do profissional ou a uma consulta virtual. Para ajudá-lo a determinar quando é a hora de procurar a terapia, separamos, a seguir, oito situações em que a ajuda de um psicólogo é pertinente.

1.     Conflitos pessoais

Quando não se está satisfeito com a vida, muitos problemas começam a surgir. Você pode ficar irritado sem motivo, provocar discussões sem ter a intenção, deixar de cuidar de você mesmo, ter a sensação de estar “à deriva” e sem perspectiva de futuro, não conseguir ter relações saudáveis, entre outros.

A razão para tudo isso pode residir em um conflito pessoal, como, por exemplo, a baixa autoestima, a falta de autoaceitação, o ressentimento guardado de experiências negativas, o desejo de mudar de vida e o medo de fazê-lo, e outros.

Quando o conflito é interno, ou seja, de você com você mesmo em vez de você com o mundo, é preciso trabalhar a causa da insatisfação, medo ou desânimo. Se você não parar para encarar a raiz do problema, não importa o que você faça ou onde você esteja, as sensações desagradáveis voltarão. Tudo ao seu redor muda quando você desenvolve uma relação saudável consigo mesmo.

A terapia proporciona um espaço seguro e confortável para você encarar esses conflitos. Embora essa experiência possa gerar ansiedade e estresse, com a ajuda do psicólogo, você consegue gerenciar essas emoções para manter o foco no autocuidado.

2.     Problemas conjugais

Problemas conjugais também podem ser levados à terapia. Casais que estão com dificuldade para manter uma boa convivência, não conseguem estabelecer um diálogo sincero, querem coisas diferentes para as suas vidas e não sabem como passar por uma situação complicada juntos podem buscar a orientação do psicólogo.

Dependendo da natureza do problema, os casais podem ter dificuldade para resolvê-lo sozinhos. As discussões acerca de questões do presente muitas vezes são influenciadas por mágoas do passado e desejos mantidos em segredo, como o de que o cônjuge simplesmente acorde e mude de atitude.

Para conseguir dialogar e refletir sobre os problemas conjugais de maneira racional, sem influência do passado e de sentimentos, casais podem procurar a terapia de casal.

3.     Dúvidas profissionais

Dúvidas profissionais são uma das pautas mais comuns da terapia. Milhares de pessoas não estão satisfeitas com as suas vidas profissionais ou chegam a um momento em que tudo precisa ser reavaliado.

Já não gostam de onde trabalham ou da profissão que exercem, mas não sabem o que fazer para recomeçar ou, ainda, não sabem se devem largar tudo e começar do zero. Todos esses questionamentos são fonte de grande ansiedade.

Assim como acontece com os conflitos pessoais, é preciso encarar esses questionamentos uma hora ou outra. Caso contrário, a insatisfação com a sua vida profissional alimentará o estresse, ansiedade e tristeza, favorecendo o surgimento de condições de saúde mental, como a depressão.

4.     Dificuldade para gerenciar expectativas

A dificuldade para gerenciar expectativas é uma das razões pelas quais as pessoas se sentem insatisfeitas com as suas vidas. Elas idealizam uma realidade magnífica, mas nem sempre as coisas acontecem conforme o planejado, causando frustração.

Você pode estar infeliz com a sua vida no momento por conta das expectativas que criou ao longo da vida. Como nada parece dar certo, você começa a perder a esperança de ser feliz ou de alcançar a autorrealização. Na terapia, é possível aprender a fazer a distinção entre a idealização e realidade, bem como desenvolver métodos eficazes para gerenciar expectativas.

5.     Suspeita de condições de saúde mental

Tem andado desanimado? Sem vontade de fazer as coisas? Sem perspectiva de vida? Ou tem andado ansioso, preocupando-se demasiadamente com o futuro e com a repercussão de decisões tomadas no passado? Você pode estar sofrendo com os sintomas de uma condição de saúde mental sem saber.

Embora seja normal ficar para baixo de vez em quando, é preocupante quando esse estado emocional se prolonga por dias, semanas ou meses. Do mesmo modo, não é normal estar sempre cansado, ter dificuldade para dormir todas as noites e perder o apetite ou comer demasiadamente de uma hora para a outra. O recorrente desconforto emocional e físico pode ser sinal de que é preciso procurar a terapia.

6.     Traumas

Através de padrões de comportamento e pensamento negativos, carência afetiva, autoestima baixa, relacionamentos abusivos e hábitos autodestrutivos, como abuso de substâncias, traumas mal resolvidos interferem no aproveitamento da vida presente.

Você pode ter dificuldade de tomar decisões ou ter medo de viver certas situações por conta de experiências marcantes do passado, então, o que reduz consideravelmente as suas oportunidades de ser feliz.

A terapia é a principal forma de tratamento para os traumas, principalmente os de infância. Psicólogos são capacitados a ajudar pacientes a identificarem como esses traumas exercem influência sobre o seu comportamento atual, bem como a ajudá-los a perceber que não precisam mais permanecer apegados a eles.

7.     Acontecimentos negativos

Ao longo da vida, passamos por muitas experiências. Apesar de conseguirmos superar vários obstáculos sozinhos, pode chegar o dia em que não conseguiremos ver a saída para um problema.

Pode ser a morte de um parente que deixa uma sensação de vazio, uma demissão que culmina em questionamentos acerca do que fazer em seguida ou, ainda, o término de um relacionamento que acaba com a perspectiva de encontrar o amor.

A vivência de acontecimentos negativos é a ocasião perfeita para procurar a terapia, mas além de tratar sintomas de condições de saúde mental e encontrar soluções para conflitos pessoais, a psicoterapia ajuda as pessoas a passar por acontecimentos negativos com resiliência. 

Buscar a ajuda de um psicólogo em um momento de adversidade não é um sinal de fraqueza, mas, sim, um ato de amor-próprio. Você também pode procurar a terapia quando estiver passando por um período de transição, como uma mudança de país ou de profissão.

8.     Apego ao passado

O apego aos acontecimentos do passado pode prejudicar a sua vida presente. Você pode, por exemplo, ter dificuldade para fazer novas amizades ou iniciar um relacionamento amoroso por ter se apegado às memórias de relações passadas.

É comum as pessoas esperarem que as mesmas situações do passado se repitam em algum momento no presente. Por isso, desenvolvem medos e preocupações desnecessários. Se você não consegue se desligar do que já passou, considere procurar a terapia para aprender a viver no presente.

Quem leu esse artigo também se interessou por:

Outros artigos com Tags semelhantes:

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Thaiana Brotto

Autora: psicóloga Thaiana F. Brotto – CRP 106524/06 Formação: Thaiana Filla Brotto é psicóloga registrada no Conselho Regional de Psicologia sob o número 06/106524. Thaiana se formou em Psicologia pela PUC-PR em 2008, fez pós-graduação em Terapia Comportamental pela USP e é pós-graduanda em Neurociência pela PUC. Thaiana já escreveu mais de 400 artigos para o Blog Psicólogo e Terapia.

LINK DA FONTE

Rolar para cima